quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Dê 6, leve 1/2 dúzia

Seu corpo nem sempre digere tudo corretamente. Então adapte o cardápio

Pior que engordar comendo tudo aquilo que dá vontade é não poder comer o que gosta em decorrência de uma intolerância alimentar. As mais comuns estão relacionadas à fenilalanina, ao glúten e à lactose. O nutrólogo Durval Ribas Filho, presidente da Associação Brasileira de Nutrologia, explica como cada uma delas se manifesta, as dicas e os cuidados com alimentação.









Intolerância à lactose
Quando aparece: na infância,
mas persiste na fase adulta.
Causas: deficiência da enzima
lactase, responsável por digerir a lactose ¿ açúcar contido no leite.
Reações:
"Cerca de 40% da
população apresenta alguma
disfunção enzimática da lactose com sintomas clínicos variáveis e às vezes despercebidos", diz Ribas Filho. As reações: diarréia, flatulências e má digestão.
O que evitar: leite de origem
animal, bolos, biscoitos, massas
folhadas, alguns cereais, sorvete com leite, pudim, chocolate, manteiga e margarina.
O que é permitido: leite
de soja, iogurte, coalhada,
pão, macarrão, bolo sem leite,
gelatina, sorvete sem leite,
sucos e carnes em geral.
 







Intolerânciaà fenilalanina
Quando aparece: problema
hereditário identificado com
o teste do pezinho, realizado
ainda na maternidade.
Causas: o fenilcetonúrico, nome dado aos portadores dessa deficiência, não metaboliza esse aminoácido essencial.
Reações: o acúmulo de fenilalanina atinge o sistema nervoso central. Pode causar
sérios problemas mentais.
O que evitar: desde os
primeiros meses de vida,
restringir proteínas (carne,
leguminosas, ovo, refrigerantes
diet, leite e derivados).
O que é permitido: deve-se
introduzir no cardápio uma
mistura de aminoácidos com
pouco ou nenhuma fenilalanina.


Intolerância ao glúten
Quando aparece: na infância,
mas pode surgir na fase adulta.
Causas: Ribas Filho comenta
que é uma doença auto-imune.
"Anticorpos reconhecem o glúten como um corpo estranho."
Reações: alterações intestinais (barriga inchada, diarréia e dor abdominal). Falta de apetite e vômito também são comuns.
O que evitar: produtos com
trigo, malte, cevada, aveia e
centeio. Isso quer dizer boa
parte dos pães, bolos, massas,
pizzas e bebidas alcoólicas.
O que é permitido: já existem produtos como pães e cereais com indicação "sem glúten". Substitua a farinha de trigo por farinha de arroz, amido de milho, farinha de milho, fubá,
farinha de mandioca ou polvilho.

domingo, 3 de outubro de 2010

Combinar alimentos multiplica seus benefícios

Amendoim + Cerveja
O Benefício:essa dupla que você saboreia em qualquer boteco pode diminuir o risco de um ataque cardíaco.
A Ciência:vários estudos têm mostrado que as sementes oleaginosas (como amendoim, nozes e castanha de caju) aumentam o nível de HDL, o bom colesterol, enquanto reduzem o "vilão" LDL. Já o álcool age como excelente "limpador" do sangue, prevenindo a formação de placas que podem bloquear seu : uxo para o coração. Mas pesquisadores suecos descobriram que a gordura e as fibras das nozes diminuem a absorção do álcool pela corrente sangüínea. Isso pode amenizar os efeitos do consumo de bebidas alcoólicas. Para obter melhores resultados, experimente comer oleaginosas cerca de 15 minutos antes do primeiro copo.
Conselho de amigo:moderação. Até 75 gramas de castanhas (cheias de calorias) e um ou dois copos de cerveja ou vinho por dia são suficientes para reduzir seu risco de doença cardíaca sem pesar na balança.

FUMAÇA DE CIGARRO AGRAVA ALERGIA

 

Além das assustadoras (mas comprovadamente reais) conseqüências cancerígenas e do odor que se instala por longo tempo nas roupas e na pele, respirar fumaça de cigarro piora muito a vida de quem tem alergia. A crise chega a durar quatro dias depois do contato com fumantes. Pesquisadores da Universidade da Califórnia em Los Angeles (UCLA), nos Estados Unidos, revelaram que, quando as pessoas que apresentam o problema ficam expostas durante algumas horas à fumaça de cigarro, elas reagem com índices de alergia até 17 vezes maiores que outros participantes que eram poupados do contato com as baforadas de nicotina.







 "Inalar a fumaça de cigarro causa alteração no sistema imunológico, resultando num aumento dos anticorpos que despertam as reações alérgicas", explica David Diaz-Sanchez, médico responsável pelo estudo.
Ocorreu um erro neste gadget